Setor Comercial Sul, Quadra 06, Bloco A, Lote 206, Ed. Newton Rossi, 3º. andar, Parte G, Brasília – DF, CEP 70.306-911

Brasília é a 1° cidade com rotas turísticas acessíveis para pessoas com deficiência

sindesei padrão(1)

Brasília é a primeira cidade brasileira a oferecer rotas turísticas acessíveis às pessoas com deficiência e mobilidade reduzida. Os miniguias, com 11 equipamentos, já com acessibilidade instalada, foram lançados pela secretária de Turismo do Distrito Federal, Vanessa Mendonça. O lançamento faz parte do Acordo de Cooperação Técnica (ACT), assinado nesta quinta-feira (17), na Casa de Chá da Praça dos Três Poderes, entre a Secretaria, Ministério do Turismo e Embratur. O Sistema Fecomércio-DF, parceiro do GDF em diversos projetos de Turismo e Economia Criativa, foi representado pelo presidente José Aparecido Freire.

O objetivo é proporcionar a execução de ações conjuntas voltadas aos visitantes com deficiência ou pessoas com mobilidade reduzida, posicionando Brasília na vanguarda deste segmento no Brasil. “Desde que iniciei minhas atividades à frente da Setur-DF, recebi a missão do nosso Governado Ibaneis Rocha de trabalhar para consolidar Brasília como um destino de referência no turismo acessível. Agradeço ao Governador por confiar no meu trabalho. Sem ele, não estaríamos transformando Brasília com este novo olhar do Turismo”, afirmou a gestora da Pasta.

“Vamos atender diretamente 131 mil brasilienses com essas ações. O ACT é um instrumento para criar, desenvolver e divulgar cursos de qualificação e materiais de divulgação voltados para atendimento no turismo de pessoas com deficiência ou mobilidade reduzida, além de divulgação de informações sobre acessibilidade no turismo”, observou a Secretária. Ela lembrou que o alcance de um acordo como este pode beneficiar cerca de 46 milhões de brasileiros, número da população com deficiência no país.

Para o presidente do Sistema Fecomércio-DF, José Aparecido Freire, é preciso “atrair o turismo do Brasil para Brasília. “A secretária Vanessa Mendonça é nossa parceira em outros projetos e a Fecomércio está à inteira disposição da população, do GDF do Ministério do Turismo, da Embratur e da Setur-DF para juntos fomentarmos o turismo de Brasília para o mundo”, destacou o presidente.

Para o Secretário Nacional de Desenvolvimento e Competitividade do Turismo, Fábio Pinheiro, Brasília está pronta para se destacar e ser exemplo para o mundo. “Agora há pouco um jornalista me perguntou: por que Brasília? Por que celebrar este Acordo de Cooperação Técnica em Brasília? Porque a Vanessa não brinca. Em reunião acertamos que assinaríamos o ACT com a Rota, e já lançamos o guia. Precisamos promover Brasília internacionalmente, inclusive”, afirmou o secretário do Ministério do Turismo.

EXTERIOR
“Existem outras experiência no Brasil, mas o diferencial é que Brasília tem uma Rota, o que torna tudo mais tangível, objetivo. O programa não é somente atender as pessoas com deficiência permanente ou temporariamente, pretendemos também atingir as pessoas com mobilidade reduzida, como por exemplo, os idosos, os obesos e se somarmos esses números podemos chegar a 66% da população brasileira, por esse motivo o programa é uma prioridade de governo federal”, informou Fábio Pinheiro.

Já o diretor de Gestão Corporativa da Embratur, Edson Cavalcante de Queiroz Júnior, reforçou que Brasília merece ter o destaque que está tendo e muito mais. “Quero parabenizar e agradecer pela parceria com a Embratur, estamos trabalhando de mãos dadas. Temos como finalidade ao reconhecimento do nosso turismo no exterior e nessa condição, nós vamos, sim, apresentar Brasília como um destino turístico acessível para que essa cidade tenha o destaque que merece”.

O presidente da Associação Brasileira da Indústria de Hotéis (ABIH), Henrique Severien, elogiou a iniciativa e reconheceu a necessidade do tema para o setor hoteleiro. “A hotelaria já trata disso há muito tempo, mais ainda de uma maneira muito tímida. Eu sinceramente espero que esse Termos de Cooperação Técnica possa servir de instrumento para mudar a forma como da deficiência e a mobilidade sao tratadas. E eu só posso agradecer ao Ministério do Turismo e a Embratur e principalmente a secretária Vanessa Mendonça pela atuação. Espero que todos reconheçam tudo que vem sendo realizado para o turismo em Brasília“, disse o executivo.

VISÃO FUTURISTA
Foram lançados dois miniguias, um com a Rota Arquitetônica Acessível e outro com a Rota Religiosa Acessível. Juntos, eles destacam 11 equipamentos, seis atrativos localizados no Eixo Monumental de Brasília, pela Rota Arquitetônica, e cinco na Rota Religiosa (da Paz) Acessível, espalhados pelo Plano Piloto. Neles, o turista com deficiência é orientado sobre como se deslocar entre os pontos, como acessar e o que vai encontrar em cada um desses locais.

O secretário da Pessoa com Deficiência do DF, Flávio Santos, destacou que Brasília está saindo na frente, com uma visão futurista. “Sou suspeito para falar do trabalho da secretária Vanessa. Essa seria a visão de Jk sobre Brasília, uma visão de futuro, mais à frente. E hoje estamos vivenciando isso com ações que trazem essa visão futurista de Brasília. Acessibilidade não é apenas para pessoas com deficiência, é para todos. Eu penso na quantidade de pessoas que deixam de conhecer todos os monumentos e belezas de Brasília por falta de acessibilidade, por isso, como pessoa com deficiência deixo aqui a minha gratidão pelo trabalho elaborado pela secretária”, reconheceu o Secretário.

A companhia de Transportes Públicos de Brasília (TCB), também está apoiando o movimento em prol da acessibilidade e mobilidade na cidade. Segundo o diretor técnico Vitor Aveiro, toda a frota já está preparada para receber moradores e turísticas. “É um grande prazer para TCB participar desse movimento. Estamos preparados para atender as pessoas que precisam utilizar os equipamentos acessíveis. Agradecemos a parceria”, salientou Aveiro.

EXPORTAÇÃO
A embaixadora da República Dominicana, Patrícia Villegas de Jorge, também presente ao evento, afirmou que seu país, uma ilha do tamanho do Estado do Espírito Santo, recebe média de 8 milhões de turistas por ano e que o Brasil precisa se tornar o protagonista do turismo na América latina. Ela destacou a gestão do turismo no Distrito Federal e anunciou que vai levar esse modelo de Rotas Acessíveis para seu país. “Agora que estou conhecendo, vamos apresentar um projeto de lei para Câmara do Deputados com esse exemplo e depois uma parceria para exportar esse modelo do Brasil para a República Dominicana”, anunciou a Embaixadora.

Além das rotas acessíveis, a Secretária de Turismo lembrou que “não podemos nos esquecer também que temos em Brasília duas unidades da Rede Sarah de hospitais de reabilitação, referência no atendimento de vítimas de politraumatismos e problemas locomotores, que trazem um grande fluxo de pessoas com mobilidade reduzida à capital.” Segundo ela, agora, esses visitantes certamente poderão acessar os principais monumentos públicos de Brasília com total segurança.

CENTRO DE PESQUISA
Durante a cerimônia, o Superintendente do Arquivo Publico de GDF, Adalberto Scigliano, anunciou uma futura assinatura de Acordo de Cooperação Técnica com a Setur-DF. Segundo Adalberto, essa assinatura irá contribuir para que passe a ter a relevância e a cotação turística que merece. “O Arquivo Público do DF irá assinar ACT com a Setur-DF, e gostaria de anunciar também que em dois meses teremos equipamento cultural à disposição da população, um Centro de Pesquisa e difusão da História de Brasília com exposições fixas e temporárias. Teremos um cinema e uma sala de pesquisa totalmente inclusiva”, afirmou o Superintendente.

Conheça as rotas



Arquitetônica:
– Praça dos Três Poderes
– Catedral
– Torre de TV
– Planetário
– Complexo da República
– Memorial JK

Religiosa
– Igrejinha de Fátima (308 Sul)
– Catedral Rainha da Paz (Eixo Monumental)
– Catedral Metropolitana Nossa Senhora Aparecida (Eixo Monumental)
– Templo da Boa Vontade (916 Sul)
– Santuário Dom Bosco (702 Sul)

Acessibilidade nos atrativos
– Vagas nos estacionamentos com zebramento e meio fio rebaixado
– Acesso ao memorial sem degraus
– Piso tátil no interior do atrativo
– Elevador para acesso ao segundo pavimento
– Banheiros acessíveis
– Material promocional em Braile
– Braile ou audiodescrição na maioria das obras expostas
– Cadeira de rodas disponíveis para empréstimo
– Atendentes qualificados
– Entrada gratuita para PCD e acompanhante

Com informações da Secretaria de Turismo

Fonte: Fecomércio / CNC

Posts Relacionados